Localização

Uma serra repleta de oportunidades tão perto de si

HOTEL DO CARAMULO002
HOTEL DO CARAMULO136

História de uma Região

O Caramulo, situado a 1076.57 metros de altitude, é o destino de montanha que encanta o coração a todos que lá passam… convidamo-lo a vir explorar este segredo esquecido no tempo.

Ao subir a Serra do Caramulo somos invadidos por sensações e cheiros de uma beleza sem igual. É assim que nos sentimos no Caramulo Congress Hotel & SPA, um hotel único, rodeado por uma paisagem avassaladora que inspira ao descanso, tranquilidade e renovação do corpo e mente.

Os 87 quartos, confortavelmente climatizados e equipados, proporcionam uma base acolhedora e agradável para a sua estadia. O serviço prestado desde o momento em que chega à hora da partida, combina simpatia e profissionalismo.

localizaca
eb6bc9d2124f14e4cab56aa6c09b894c9e64d63c-slideshow-142387
HOTEL DO CARAMULO205
HOTEL DO CARAMULO184
header-localizacao

Curiosidades sobre o Caramulo – Roteiro dos Sanatórios

O Caramulo é uma vila com cerca de 1.000 habitantes que corresponde territorialmente à freguesia de Guardão, do município de Tondela. Como o nome indica, fica na Serra do Caramulo, a qual administrativamente pertence aos distritos de Aveiro (parte ocidental) e Viseu (parte oriental). Foi a única vila portuguesa planeada de raiz. O Caramulo foi criado em 1921, e foi a primeira vila do país a dispor de saneamento básico e eletricidade.

É um médico de Tondela, Abel Lacerda, que descobre no princípio do século as virtudes do clima de Paredes do Guardão. E que inicia o progressivo crescimento de uma estância de tratamento de doenças pulmonares que, na sua fase de apogeu, ostentava 19 grandes sanatórios, orgulhando-se de ser a maior estância da Península Ibérica e a segunda a nível europeu.

Contudo, com a progressiva erradicação da doença e a descoberta de novos tratamentos, a estância foi descativada, e aos poucos foram sendo encerrados e abandonados os sanatórios do Caramulo, que acolhiam doentes de todo o país. Sofreram, desde os anos 60, um lento declínio, que se consumou após o 25 de Abril. O último sanatório fechou as portas em 1986, dando fim a uma crise que se vinha acentuando há décadas e que passava pela degradação patrimonial e pela total desagregação económica e consequente abandono populacional.

O Sanatório Salazar (destinado, na altura, ao Exército) deu lugar, nos anos 90, ao Hotel do Caramulo, de quatro estrelas. No Sanatório ao lado, funciona hoje em dia o Instituto de Prevenção do Stress e Saúde Ocupacional. Dois outros sanatórios foram transformados em casas de habitação. Sameiro, Monteiro de Carvalho, Boa Esperança e Pedras Soltas foram reconvertidos em lares de terceira idade. Outro recebe doentes com problemas psiquiátricos. Existe ainda um que é propriedade da Opus Dei, sendo que nele se realizam retiros e encontros. Três foram demolidos. Os restantes permanecem abandonados, emparedados e à espera de investidores que tragam melhores dias.